Estrangeiros no momento
2003-09-30
 
Elia Kazan
Elia Kazan foi um genial cineasta, tendo realizado alguns filmes que não me saem da memória, como "Há Lodo no Cais" e "Um Eléctrico Chamado Desejo". Foi um dos fundadores do Actor's Studio, tendo sido grande responsável pela difusão do respectivo "método". Como artista, ficará na história como um dos realizadores mais brilhantes do século XX. E mais influentes, pois deixou um estilo, uma marca que inspirou muitos dos seus seguidores. Ficará também na história por ter sido um bufo.
Tal atitude haveria de o marcar para o resto da vida. Vale a pena recordar como Kazan classificava a sua atitude. De acordo com o The New York Times de hoje,

Asked why he had identified others, he cited a "specious reasoning which has silenced many liberals" that ran like this: "You may hate the Communists, but you must not attack them or expose them, because if you do you are attacking the right to hold unpopular opinions."
"I'd had every good reason to believe the party should be driven out of its many hiding places and into the light of scrutiny, but I'd never said anything because it would be called `red-baiting,' " he wrote years later. "The `horrible, immoral thing' that I did I did out of my own true self."
"I said I'd hated the Communists for many years and didn't feel right about giving up my career to defend them," Mr. Kazan recalled. "Was I sacrificing for something I believed in?" His decision cost him many friends.
Years later, Mr. Kazan expressed doubts. "What I'd done was correct," he wrote, "but was it right?"


Na hora da sua morte, é justo, tal como foi durante a sua vida, que lhe prestemos as maiores homenagens. Mas não é justo que esqueçamos esta outra sua faceta. Pelas vítimas das suas delações. Pela liberdade na América, que ele quis controlar e restringir.
Estes valores são muito caros a uma direita que obriga a esquerda permanentemente a retratar-se. A esquerda tem de se retratar pelo estalinismo. A esquerda tem de se retratar por Cuba. A esquerda tem de se retratar pelo terrorismo. A esquerda tem de se retratar pelo 11 de Setembro. Mesmo que não tenha nada a ver com isto, de acordo com a retórica desta direita toda a esquerda tem sempre que se retratar.
Ao contrário, eu não peço a toda a direita que se retrate pela Caça às Bruxas. Só quem é responsável. Elia Kazan nunca se arrependeu verdadeiramente. Nunca se retratou. Por isso, merece ser recordado por tudo o que aqui foi enumerado. FM

Powered by Blogger

Nedstat Basic - Free web site statistics