Estrangeiros no momento
2003-11-03
 
Festas de Long Island (I)
Em Stony Brook, onde estudei, as festas eram geralmente organizadas em casas grandes habitadas por alunos de doutoramento. "Espalhava-se" durante a semana que haveria uma festa na casa tal, no dia X a tal hora, e apareciam os alunos de doutoramento americanos (e alguns mais americanizados) quase todos. Este foi um conceito de festa que sempre me fez confusão. A verdade é que poucas vezes (as vezes a que fui) alguém responsável pelas festas me convidou explicitamente. Era sabido que bastaria aparecer, que a minha presença seria automaticamente aceite. Ora eu, como bom marxista, nesta altura nunca poderia aparecer. Depois, nunca percebi se era suposto levar cerveja, e a verdade é que às vezes aqueles tipos bebiam que nem loucos e o ambiente tornava-se desagradável. Finalmente, eu nunca poderia oferecer uma festa dessas nos exíguos apartamentos T0 (ou T-1) que habitei, e tinha a sensação de que aquelas festas eram apesar de tudo um clube mais ou menos privado, cuja organização ia rodando entre os seus diferentes membros. Eram o entretenimento, a vida cultural que um subúrbio como Long Island poderia oferecer.
Vai daí, preferia dar à chave do meu querido e saudoso Hyundai Accent 1998 e rumar a Manhattan, onde o divertimento é para todos os que o possam pagar, mas sem necessidade de convite. FM

Powered by Blogger

Nedstat Basic - Free web site statistics