Estrangeiros no momento
2003-12-10
 
Para quando o fim da sociedade aberta?
Alguém sabe explicar quem é Paulo de Almeida Sande? O que fez de relevante para assinar uma coluna semanal no DN chamada "Sociedade Aberta"? Não fazemos a mínima ideia do que faz para ganhar a vida, para além de escrever a dita coluna, pois é identificado como "contemporâneo". Boa. Mas os articulistas não são todos contemporâneos? O que tem este para ser diferente dos outros? Tomemos Vera Roquette como exemplo: é contemporânea, mas pelo menos fez alguma coisa de relevante e reconhecido pela sociedade. Exactamente: apresentou o "Agora, Escolha!", o precursor da SIC Gold. Vera Roquette escreve no mesmo espaço, noutro dia da semana. O espaço que já foi de Clara Pinto Correia e Óscar Mascarenhas, nos tempos áureos do DN. Presentemente, é o espaço ocupado pelas colunas de Vera e Paulo, as colunas dos títulos pedantes, respectivamente "Veracidades" e "Sociedade Aberta". Desta sociedade aberta eu sou inimigo. E também não simpatizo particularmente com o Popper, que escreveu sobre os inimigos da sociedade aberta mas já não é contemporâneo. Simpatizo com Mário Soares, que tem um programa na SIC chamado... "Sociedade Aberta". E que tem currículo suficiente, e marcou a nossa época de maneira a poder ser chamado "contemporâneo".
Na passada sexta-feira, a coluna "Sociedade Aberta" tinha por título "Fim". Julguei que fosse acabar, mas parece que não. FM


Powered by Blogger

Nedstat Basic - Free web site statistics