Estrangeiros no momento
2004-01-21
 
Aborto (conclusão)
Não fiquei indiferente aos argumentos apresentados pelo Rui. Digamos portanto que eu tenho dúvidas sobre a questão do financiamento do aborto. Creio ter razão nos argumentos que usei, mas os usados pelo Rui deixam-me sempre sensibilizado: a "gente humilde", as mulheres sem trabalho, abandonadas pelos maridos...
Encerrando a questão reconhecendo que precisaria ter um conhecimento "no terreno" mais aprofundado sobre esta questão para poder falar melhor. O aborto, evidentemente, não é a solução ideal para ninguém. Quem faz um filho fá-lo por gosto, escreveu um poeta falecido faz agora vinte anos, que infelizmente não tivemos tempo de aqui evocar melhor. Seguramente ninguém faz abortos por gosto; o aborto é um mal necessário. Um aborto financiado incondicionalmente pelo Estado é um mal ainda maior, que eu poderei aceitar se me convencer, ou se me convencerem, de que é mesmo necessário. Como diria o Caetano, na espantosa canção que dá o título a este blogue, some may like a soft brazilian singer but I have given up all attempts at perfection. FM

Powered by Blogger

Nedstat Basic - Free web site statistics