Estrangeiros no momento
2004-01-24
 
A propósito de uma conclusão...
Eu sei FM que para ti o assunto do aborto já terminou um post antes. De qualquer modo volto a ele por uma parte do teu texto:
Creio ter razão nos argumentos que usei, mas os usados pelo Rui deixam-me sempre sensibilizado: a "gente humilde", as mulheres sem trabalho, abandonadas pelos maridos...(FM)
Voltando ao meu texto a que fazes referência cito textualmente:
Estamos falando de adolescentes (sem financiamento próprio), de gente humilde e ignorante (que se saltam os métodos anticonceptivos), de mulheres sem trabalho (donas de casa que sem financiamento do marido a abortar abortam com a abortadeira...), etc, etc.
Eu tentei buscar situações muito dignas e que inspirassem compreensão e revolta, nunca piedade, que é o que parece dar a entender ao FM. Espero que isto não signifique que és de esquerda porque te sensibilizas com a "gente humilde, as mulheres sem trabalho, abandonadas pelos maridos". Isto parece coisa de direita.
Voltando aos exemplos que apresentei e com a intenção de dignificar a mulher que está grávida e não deseja ter um filho mas que foram mal interpretados, pelo menos por alguns. Assim também aproveitarei para exercer num grau minimalista a minha veia de narrador que por outro lado é ela mesma muito miníma:
1 - adolescentes sem financiamento próprio
Este caso não é referido pelo FM e será aquele causou menos dúvidas de inspirar piedade. Assim que o saltarei desta vez.
2 - gente humilde e ignorante (que se saltam os métodos anticonceptivos)
Neste capítulo eu incluo prostitutas, pelo menos aquelas que se deixam engravidar, e em geral todos aqueles que estavam incluídos no grupo que costumam denominar por aqueles que fazem "abortos por sistema".
3 - mulheres sem trabalho (donas de casa que sem financiamento do marido a abortar abortam com a abortadeira...)
Este é aquele a que queria chegar pois foi o que o FM lhe deu mais a volta transformando em "mulheres abandonadas". Mas onde falei eu em mulheres abandonadas? Estou falando também de mulheres donas de casa, que podem até ser muito amadas por seus maridos, mas que ficando grávidas sem que o desejem, sabem que seus maridos não as vão apoiar numa decisão de abortar muito pelo contrário.
Este caso é muito mais interessante porque muito mais radical, já que tal como no caso de adolescentes demonstram que eu defendo a financiação do aborto sem nenhuma espécie de necessidade de consentimento por parte de marido, ou pais - apenas no caso de adolescentes muito jovens (para sermos exactos, menos de 16 anos) exigiria que houvesse necessidade de consentimento por parte dos pais, e isto apenas porque sou realista e sei que estou no planeta Terra e as pessoas ainda são como são. E também porque aponta para as verdadeiras razões da minha defesa de liberar e financiar o aborto. São razões de príncipios e não circunstanciais. Uma mulher não deve pagar por ser mulher.
De qualquer forma o que quis foi responder a observação feita por FM que dava a entender da minha parte a utilização de argumentos piedosos para a financiação do aborto. Creio que é muito raro eu ser ou usar argumentos piedosos. A piedade é em geral a forma que a direita tem de demonstrar carinho e reconhecimento pelos "pobres". Eu sou de esquerda porque sinto compreensão e a revolta consequente por todas aquelas pessoas que de uma forma ou de outra são exploradas e oprimidas. Sou obrigado a dizer que neste grupo de pessoas estão incluídas uma parcela gigantesca das mulheres deste planeta. Infelizmente porque ainda hoje século XXI, nós homens continuamos a usar e entender a lei da força e do músculo melhor que qualquer outra.
Curiosamente descobrimos o que até os gregos já sabiam, que as democracias são perfeitamente compatíveis com a boçalidade humana, bastando que esta seja maioria. Alemanha Hitleriana. EUA vota Bush e o apoia na invasão mais boçalmente imperialista desde muito tempo. Portugal em referendo vota contra a liberalização do aborto.
Ao final o que descobrimos é que a protecção de minorias e da liberdade de todos, não tem nada que ver com democracia, e ás vezes muito pelo contrário.RF

Powered by Blogger

Nedstat Basic - Free web site statistics