Estrangeiros no momento
2004-02-06
 
"O homem que enfrentou os franceses"
A frase é de Robert Dole (lembram-se dele?) e é referente a Aznar. Uma coisa importante que a frase não refere é que Aznar enfrentou os franceses mas provavelmente também os espanhóis.
De qualquer modo parece ser que Aznar é admirado na condição de que se oponha a uma França que seja incômoda para os EUA. O que basicamente significa que quando França seja novamente amiga dos EUA, Espanha voltará a não pintar nada em termos internacionais como não pintava antes da invasão de Iraque e na prática continua a não pintar. E isto é importante que se lembrem todos aqueles em Espanha (e também em Portugal) que acham Aznar muito astuto em termos diplomáticos.
A frase também me parece interessante desde o ponto de vista que nos possibilita ver a Chirac como "O homem que enfrentou os americanos".
E se Aznar enfrentou os franceses para agradar os americanos, Chirac enfrentou os americanos para agradar a quem? Aos alemães? É provável, e nesse caso Shroeder enfrentou os americanos para agradar a quem? Aos alemães também? Ou seja, que o computo geral deveria ser: Aznar enfrentou os franceses (e os espanhóis) para agradar os americanos, Chirac enfrentou os americanos para agradar os alemães (mas no caminho pelo menos não foi em contra do que desejavam os franceses), e Shroeder enfretou os americanos para agradar aos alemães.
Nesta história quem me parece de longe melhor posicionado desde um ponto de vista democrático (e para aqueles que valoram uma valoração deste tipo) é Shroeder, apesar de Chirac não estar nada mal...
Agora a questão mais interessante é sem dúvida: Bush enfrentou os iraquianos para agradar a quem? Isto cheira-me a apresentação de um filme (futuro?) de Oliver Stone...RF

Powered by Blogger

Nedstat Basic - Free web site statistics