Estrangeiros no momento
2004-12-13
 
Gosto de sentir a minha língua roçar a língua de Luís de Camões*
No Brasil ninguém se lembra de lamentar pela morte da língua. No Brasil eles dobram tudo. John Wayne diz com sotaque paulista duro: "aquele cara!" E eles dizem AIDS.
Em Portugal eles gostam de dizer que a língua está morta, que está morrendo, e dizem SIDA. E eles gostam que John Wayne lhes diga "that guy", e que eles entendam sem quase ter que ler as tristes palavras brancas que dizem por baixo: "aquele gajo!".
Eu gosto que em Portugal se diga que a língua está morta, e de ouvir o John Wayne dizendo "that guy" sem quase ter que ler "aquele gajo" por baixo, e de dizer SIDA e não AIDS. Gostava e gosto, quando estou no Brasil, de ouvir "aquele cara!" com sotaque paulista da boca do John Wayne e que ninguém diga ao meu lado que a língua está morta.
Gosto que a sombra consoante europeia da minha língua exista e que seja assim, muito mais pequena, que a sua luz própria mulata vogal.
Mas agora me vêem dizer que a sombra se pode encher de luz crioula e sabem o que vos digo? Que eu gosto também.
RF

*Caetano Veloso - Língua


Powered by Blogger

Nedstat Basic - Free web site statistics