Estrangeiros no momento
2005-05-20
 
Mitologia do Fracasso
Li no Mar Malgado a mesma coisa que tantas vezes li, ouvi, inclusive tive que estudar no Brasil enquanto lá vivi... Falo do excerto de um texto do escritor brasileiro, João Ubaldo Ribeiro, citado no post "SOMOS UM PAÍS CORRUPTO" do auto-denominado Neptuno:

"Nós vivemos num ambiente de lassitude moral que se estende a todas as camadas da sociedade. Esse negócio de dizer que as elites são corruptas mas o povo é honesto é conversa fiada. Nós somos um povo de comportamento desonesto de maneira geral, ou pelo menos um comportamento pouco recomendável." (...) "...o domínio dos portugueses ocorreu de uma maneira desordenada, desregulada, importando caoticamente a burocracia lusitana, com a corrupção que essa burocracia gera. Construiu-se toda uma visão do mundo centrada na ação estatal. A origem de muitos dos nossos problemas pode ser essa."

Supostamente se trata do que o escritor haveria dito em entrevista a revista Veja.
Esta necessidade dos países colonizados de buscarem respostas explicadoras da sua realidade (em geral sempre da parte má desta realidade...) precisamente na sua história colonial é provavelmente algo perfeitamente compreensível de um ponto de vista psicológico, mas que a mim sempre me fartou de cansar... Ouvir estes descendentes dos europeus que colonizaram o Brasil a se acalmarem do estado do seu país "fazendo a folha" aos "estrangeiros" que os colonizaram (e que são basicamente os pais, e os avós deles mesmos...) é algo que em mim provoca incômodo. O que também é em mim compreensível de um ponto de vista psicológico já que enquanto lá estive sentia que me estavam culpando a mim até que me apercebi que eu era o único ali que poderia não ser descendente destes colonizadores malévolos...
O mito da má sorte de haverem sido os portugueses a colonizar-los também é curioso já que nos leva a pensar se eles, os brasileiros, prefereriam que fossem os espanhóis e que aquilo fosse a Colômbia, ou será que prefereriam os holandeses e que aquilo fosse a Indonésia...
Nós, os portugueses de vez em quando também fazemos isso com nós mesmos, ao buscar explicações dos "nossos defeitos" nas nossas origens árabes...
Na base disto tudo o que está é racismo daquele tipo auto-destructivo mesmo se inconsciente. O mesmo que sentem os negros quando são eles mesmos a dizer, como já cheguei a ouvir no Brasil, "é negro mas tem alma branca", e outras coisas absurdas parecidas.
Por mais que possa entender porquê se dizem estas coisas, a pouca verdade histórica que haja nas palavras do escritor brasileiro não é suficiente para o banalizadas e recorrentes que as mesmas já se tornaram. Será que não está já suficientemente óbvio que estas mitologias do fracasso só servem para sentar-se e esperar por mais fracasso e voltar a repetir-las. É este o mecanismo psicológico circular pelo qual as mitologias, todas elas, sempre se fizeram a si mesmas "verdades".
RF

Powered by Blogger

Nedstat Basic - Free web site statistics